domingo, 22 de setembro de 2013

Reticências de Silêncios

As tuas razões não entendo.
As minhas emoções não compreendes.
Em nossas intenções enlouquecemos.

Assim nosso amor se fez:
Inebriado em nossa maluquez.
Misturado a uma emoção racional se fez.
Constrangido por uma razão emocional se desfez.

Entre reticências de silêncios vou vivendo.
Às exclamações interrogativas de tua razão, pendes.
Em nossos travessões esquecemos
Que nossos sonhos
Pontuados com amor
São agora vazios tristonhos
Lacunados numa dor.

Isaías Ehrich

Nenhum comentário:

Postar um comentário