terça-feira, 30 de julho de 2013

MOINHO, MOLEIRO



Moleiro és o teu nome.
Moinho é tua mente.
Teus pensamentos,
Em cíclicos movimentos
Sincrônicos, ressaltam,
Revelam, perpassam
A ilusão racional
E clamam
Por uma opinião
Que, emocionalmente,
Maquinam os sentidos num ímpeto digital
Aliformizando ideias em significados icônicos...

Moleiro és teu nome.
Moinho é tua mente.
Mesmo retido
Em uma redoma
De aconchegante ambiente
E viajando
Por meio de um  plasma virtual,
Tuas inquietações
E tua sede de liberdade
Consomem-te
De tal modo que
Te prendem
Num universo
Socialmente
Antissocial.
Que, por mais que fujas
E por mais que te rebeles,
Te consomes
com muito cautela;
sem alguma piedade.

Moleiro é teu nome.
Moinho é tua mente.
Angelical é teu semblante
E misterioso é o teu olhar luzente.

Moleiro é teu nome.
Moinho é tua mente.
Utópicos podem ser teus sonhos;
Libertárias, tuas paixões;
Louváveis tuas pretensões.
Enobrecido, teu caráter.
Revolucionárias, tuas ideias.

Socialistamente pujante
É o teu amor,
Notadamente explícito pelos ideais igualitários.
Negligenciado pelos próprios adágios
Amigavelmente compartilhados com fulgor.

Moleiro é teu nome.

Moinho, tua mente...

sexta-feira, 26 de julho de 2013

Apertos da saudade

O pacato balanço da rede
no alpendre daquele lar
era terno, singelo o deleite
daquele cantinho lá.

Minha avó um café me trazia
cafunés, um colo e a travessia
de tempos de outrora a contar
As peraltices que ela fazia
e as dores da viuvez a chorar.

A guerreira Zefinha singela
dos Pereira do cariri Ceará
trazia força, paz e amor dentro dela
E as agruras da vida ficavam pra lá.

Queria ter um pouco dela
a força a garra e a esperança
a fugacidade e alegrias dos tempos de criança
em tons de vida futura em aquarela.

Vovó Zefinha onde esteja
passa força para seus netos
pois a fragilidade das dores remanescentes
deixa-nos sofridos, amargurados e da vida, muitas vezes, descontentes
Inspira-nos com o seu jeitinho belo
A ter a força da Zefinha sertaneja!

Isaías Ehrich