domingo, 2 de junho de 2013

Indecifratez

Se me perguntassem o que é amor,
com palavras não saberia responder.
Amor não se traduz num alfabeto escrito,
seja ele a lápis, à caneta, ou pronunciado pelas farpas fonéticas da voz.
amor se traduz no olhar, se contempla no sorriso,
ganha entorno em torno da face acariciada.
Encorpora-se no abraço aconchegante do ser amado.
Amor é uma colcha de retalhos,
a qual, a cada dia se alinhava um pedaço de tecido.
Amor é essa colcha e muito mais.
O cuidado externo fortalece os fios alinhavados...
O zelo prestado  amacia e orna essa colcha,
mesmo que seja confeccionada pela mais rélis estopa.
Amar é deixar-se sentir -se para o outro
(e ao outro sentir).
Amor é abraço, cheiro, beijo, choro também, mas, principalmente  o consolo posterior.
Amor é gozo no lábio do outro da alegria compartilhada;
é cheiro, sabor e sentir...
é molhar de suor derretido pelos afagos
afagando o coração.

Nenhum comentário:

Postar um comentário