domingo, 2 de junho de 2013

1º de abril

Hoje a solidão beijou meu peito
E a solidão abraçou minh'alma.
Durante horas contemplei meu leito
Preparado à base de amor, esperança e calma.

Para não dizer que estava só,
Uma bela enviada de Minerva
No alto de uma parede bruta vela
o meu desconsolo no coração formando um nó.

Patético palhaço eu
que uma surpresa ao amor meu
Meu próprio circo ornei
Com incensos, velas e cristais;
Jantar, massagens e carinhos planejei.
De companhia,  a coruja, apenas, e o breu
E duas míseras gotas lacrimais.

Ruminei madrugada adentro desolação.
Caminhei pela aurora lunar.
Terra, água, fogo e ar...
Nesses elementos procurei encontrar
O acalento para minha desconsolação.

                                                                                                                 Isaías Ehrich

Nenhum comentário:

Postar um comentário