segunda-feira, 25 de março de 2013

SUSSURROS DE CAMARADAGEM


A um espelho moderno de amor.


Dan’úrsula ou Ursula’niel...
Não importa a mistura
O que interessa é a essência!
Se o amor adentra em nossas dependências
Qualquer sentimento vil, sozinho se enclausura.

O perfume do teu carinho que gritou
Em meu peito
Teve a mesma ousadia
Do afago que teu beijo
Em meu fogo provocou
Quando ao meu lado, flor púrpura,
A dormir te vejo.

E, se longe estou,
Não é para te maltratar, Úrsula!
É para que teus olhos,
Saudadosos  de minha imagem,
Brilhem ao ver a ti própria,
Contemplada em meu leito.
E para eu poder te dizer,
Em sussurros de camaradagem:
_ Estou aqui, Amor, meu céu!
_ Estou aqui, teu Daniel!

Isaías de Oliveira Ehrich
17/08/2008
Poema dedicado a Daniel Kremer