terça-feira, 26 de outubro de 2010

O hibisco e o girassol

          Às margens do Rio das Águas Rasas, disputavam o mesmo espaço, em uma pequena jardineira,  um girassol e um hibisco. Na disputa, outras flores foram sucumbidas pela briga entre aquelas duas.
         O hibisco sentia-se dono daquela jardineira por estar ali a mais tempo. Tinha se enraizado por todas as brechas possíveis e sugava os nutrientes das demais plantinhas que tentassem prosperar. Era uma planta robusta, mas devido a podas para melhor se ajustar às opiniões dos vários jardineiros que dela cuidavam, o hibisco não crescera em altura, apenas em lateralidades.  Com isso, ele ocupou o espaço da jardineira quase por completo.
         O girassol, por sua vez, fora germinado ali mesmo, após vencer as raízes do hibisco que, pela jardineira, espalhavam-se. Disputando  aquele minúsculo local, o girassol cresceu em direção à primeira luz do sol que desponta do extremo ponto oriental das três Américas. Tal plantinha, não era robusta nem tinha raízes profundas. Era fina, comprida e buscava a direção do sol para melhor se fortalecer.
         Na rinha, ora o hibisco se destacava, ora o girassol. Por ser mais flexível e por poder enxergar as possibilidades de formas diversas, o girassol começou a se destacar mais e mais. Com isso, o hibisco utilizou artimanhas diversas para chamar mais atenção: projetou sua sombra por sobre as gramíneas, as "onze-horas", as margaridas, no intento de "protegê-las" do sol. Além disso,  pendia para um caldeirão que, de repente surgiu por aquelas paragens, pensando ele que aquele objeto servisse para ele fixar suas raízes.
       O girassol, ao ver aquelas artimanhas, também buscou ajuda. Contou com o apoio de um "comigo-ninguém-pode" e da samambaia, que por possuir sempre o tom verde, deixava aquelas margens com ares de esperança e, com isso, ganhava a simpatia de quem por ali passasse.

       A disputa durou um bom tempo, mais precisamente quarenta dias e quinze horas, e nenhuma das duas espécíes de flores ganhou a disputa, pois num dia ensolarado, alguns jovens que foram fazer um pique-nique às margens do Rio das Águas Rasas pularam tanto na euforia pueril que acabaram arrancando o hibisco e transplantando o girassol para outro local.

Isaías Ehrich

Nenhum comentário:

Postar um comentário